Quarta-feira, 22 de Março de 2017

Insuficiente

 

O Benfica foi a Paços de Ferreira jogar a continuação da liderança no campeonato. O jogo antecedia o clássico (jogo que vai ter papel importante na decisão do campeonato) e por isso era de grande importância vencê-lo. Num clássico é sempre melhor ir a jogo em vantagem pontual sobre o rival. Não aconteceu.

 

Entrámos no jogo de forma demasiadamente calma. Durante o jogo perdeu-se muito tempo em passes para o lado e para trás (começa a ser uma imagem de marca deste ano). As jogadas fizeram-se a ritmo demasiadamente baixo o que tornou difícil a tarefa de entrar em zonas de decisão. As bolas paradas são inofensivas (em cantos então tem sido um deserto), o que indicia pouco trabalho nesta matéria.

 

Do outro lado, como sempre, estiveram jogadores que defenderam com unhas e dentes cada pedaço de terreno, não tendo faltado as respectivas entradas agressivas (para não dizer outra coisa). O árbitro, como tem vindo a ser hábito, ficou-se pelos avisos.

 

Resumindo: pouca intensidade, poucas ocasiões, nenhuma eficácia, zero golos. Quando é assim, o máximo que se pode almejar é um empate.

 

Valeu o golo de João Carvalho.

 

     

publicado por Tasqueiro às 14:15
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 14 de Março de 2017

Jogo (d)e bastidores

 

O Benfica fez o que lhe competia, ganhou o jogo e os respectivos 3 pontos. Na ressaca de um jogo de Champions, com um resultado pesado, que provocou não só desgaste físico como também psicológico, a equipa esteve à altura do momento, manteve a liderança.

 

A comunicação social desportiva está de rastos. Arrasta-se pela imundice a que chamam jornalismo. Nas conferências de imprensa, com particular incidência nas do Benfica, pouco se fala de futebol. Interessa apenas criar polémicas, actuam sem respeito por quem seja, dos microfones apenas saem especulações trasvestidas de perguntas. Ontem um dos alvos foi Miguel Rosa, o rapaz foi “acusado” de ser mal-intencionado no lance do 1º golo do Benfica. Talvez por ser demasiado sugestivo, não foi também “acusado” de intensionalmente acertar no poste.

Com toda esta gente a “marrar” no vermelho, não convém dar abébias na BTV. Imparcialidade é ser neutro, expor por palavras o que vai acontecendo em campo, com verdade e isenção, ou pelo menos tentar. O que vi foi comentadores preocupados em parecerem tão imparciais, que acabaram por ser tendenciosos em prejuízo do Benfica.

 

Há que estar atento, nada é deixado ao acaso e todos os pormenores são tidos em conta, joga-se dentro e fora do tabuleiro.

 

A crónica que hoje vem na bola (sem plágio) pode muito bem ser um incentivo a favor do Benfica. Excelente tema para debate no balneário encarnado.

 

                   

publicado por Tasqueiro às 14:29
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 9 de Março de 2017

Mentalidade

 

Quando formos capazes de erradicar, de vez, os medos e sentimentos de inferioridade, podemos encarar o jogo de forma desinibida e exibir todo o potencial.

 

O resultado não espelha a diferença de qualidade dos jogadores entre as duas equipas, pelo menos no que se refere à parte técnica. Relativamente à táctica já tenho as minhas dúvidas (Tuchel muito superior a Vitória).

 

Mais importante que o investimento em campos de treino e infraestruturas é progredir na mentalidade. Se todos acreditarem nas suas capacidades, melhores serão as suas prestações e mais próximos vão estar do sucesso.

 

Foi assim que o Dortmund deu a volta à eliminatória.

 

      

publicado por Tasqueiro às 10:41
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 20 de Fevereiro de 2017

Vitória importante

 

Jogo muito competitivo, sem muitas ocasiões de golo. O Benfica marcou 2 golos (1º foi anulado), Mitroglou teve um falhanço incrivel à boca da baliza e Júlio César viu a bola bater no poste, estes foram os lances mais relevantes da partida.

Braga fez o melhor jogo da temporada, duvido que façam exibição semelhante no resto da época.

Arbitragem inclinada. Apitou sempre a qualquer queda dos jogadores do Braga e foi bastante condescendente com as faltas sofridas pelos jogadores do Benfica. O golo anulado é discutível, dá-se o benefício da dúvida, o lance corrido é de difícil análise. Onde não há dúvidas é na falta sobre Sálvio, erro grave. O puxão a Mitroglou foi evidente, infelizmente o grego não caiu e o lance passou em claro.

 

Desde a dita reunião dos clubes com a arbitragem que o Benfica tem sido prejudicado sucessivamente. Coincidência ou não, foi também a partir dessa altura que os ânimos acalmaram, até porque o outro candidato já não tem qualquer observação a fazer.

Bastou o Benfica pedir esclarecimentos ao concelho de arbitragem para cair o carmo e a trindade.

 

Haja paciência.

 

                   

publicado por Tasqueiro às 15:05
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 17 de Fevereiro de 2017

A vitória do descontentamento

 

Intensifica-se o anti-Benfiquismo, um pouco por toda a comunicação social desportiva.

 

Um verdadeiro milagre o resultado do Benfica na Champions. Segundo os entendidos da cs, o resultado é uma enorme injustiça, os alemães deviam de ter saído da luz ovacionados após terem infligido uma valente goleada aos encarnados de Carnide.  

Resta a esperança da 2ª mão. Na Alemanha é que vai ser, Thomas Tuchel e os seus jogadores vão, finalmente, humilhar o Benfica e encaminhá-lo para o tão desejado abismo. Viva o Porto carago.

 

Até quando vão os Benfiquistas sustentar esta gente?!

 

                                    

publicado por Tasqueiro às 10:20
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 9 de Janeiro de 2017

Da estética à plástica

 

Em Portugal, o critério de análise à arbitragem usado é o de dar destaque aos lances polémicos hipotéticamente favoráveis ao Benfica ou prejudiciais aos dragartos. 

 

Por exemplo, depois de tanto ruído em torno da arbitragem, o jogo de Setúbal (15ª jornada), ao minuto 71 houve uma grande penalidade indiscutível contra o Sporting que foi ignorada. 

Já este fim-de-semana, em Alvalade, o 2º golo dos lagartos é procedido de um fora-de-jogo, lance difícil de analisar, no entanto não deixa de ser um erro de arbitragem. Mais silêncio.

 

O Porto consegue um empate em casa, no entanto houve um penálti a favor o Paços que ficou por marcar. Também aqui houve silêncio.

 

 

O Benfica foi a Guimarães ganhar de forma indiscutível, no entanto:

 "O segundo golo do Benfica é legal, ainda que plasticamente e esteticamente, o árbitro devesse ter tomado outra decisão e interrompido a jogada aquando da falta de Lindelof". 

(Pedro Henriques / ex-árbitro - comentador Sportv)

  

 Resumindo:

 

Os dragartos tiveram lances mal ajuizados, com prejuízo para os respectivos adversários, mas pouco interessa porque esteticamente foram irrepreensíveis. 

  

Já o Benfica, apesar das decisões acertadas, o “expert” não gostou da estética de um lance e decidiu fazer-lhe uma plástica, apimenta-se a coisa, desvia-se atenções e mantem-se a contestação.

 

Acorda Benfica.

 

                          

publicado por Tasqueiro às 11:39
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 6 de Janeiro de 2017

O Caos organizado

 

O futebol português está a ferro e fogo. Suspeito que a situação ainda vai piorar e pressinto que teremos desenvolvimentos a caminho de Guimarães.

 

Os jornais, os jornaleiros, os áudios e os visuais seguem os acontecimentos com as pontas afiadas. É do lápis, da língua e até da cabeça, porque há que fazer render o peixe e isto está de feição para facturar.

 

Lá para os lados do Lumiar unem-se as tropas e fazem-se reuniões, estratégias para o futuro, pois a Taça da Liga já foi. Culpam o árbitro de mais um descalabro desportivo, importa não aprofundar pois a coisa pode dar para o torto e descair a linga para a verdade (a desportiva entenda-se) e ressaltar para aí o minuto 71 onde se confirma que afinal os lagartos até foram beneficiados. 

 

As televisões, assim como os jornais e jornaleiros, não viram o pénalti a favor do Setúbal, provavelmente foi nessa altura que se deu um movimento colectivo de ida à casa de banho. É sempre nestas alturas que a coisa acontece. De maneira que, quem não sabe é como quem não vê, as análises passam ao lado do dito cujo. Um dano para a verdade desportiva e um proveito para o Clube do Viscondes.

 

Mais acima fazem-se esforços para que o tempo volte para trás. As saudades do impune são imensas, naturalmente que faz falta, é essencial para as coisas corram bem. Sem ele é muito difícil, tudo corre mal e já só falta os cães mijarem em cima. Vergonha não há, vale pois tudo e tudo ainda é pouco, vai daí e convoca-se palestra para esclarecimentos ineptos e aproveita-se para antever acontecimentos trágicos se tudo continuar na mesma.

 

Os áudios e os visuais pegaram no equipamento e foram dar antena ao pregador. Indivíduo dos 7 ofícios, sabe de tudo e mais alguma coisa, até joga à bola, mas a experiencia é mesmo a verdade desportiva e o desejo mais profundo é a protecção do produto futebol.

 

E assim temos um caos com outro significado, em vez de ter consequências desproporcionais e imprevisíveis, é organizado.

 

     

             

                    

publicado por Tasqueiro às 16:01
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 16 de Novembro de 2016

Faits divers

 

Na minha opinião, os acontecimentos recentes no túnel do estádio do Campo Grande não passam de uma causa pequena que está a produzir um grande efeito.

Tanto que na comunicação social se apregoa por uma imagem mais limpa do futebol português e ao mesmo tempo tão mal lhe causa, com tamanho alarido. Caso para se dizer que na imundice quanto mais se mexe mais ela fede.

Debate-se a hipótese do escarro versus a tese do vapor de água.

As consequencias, como não deixará de ser, vão surgir tardiamente e a montanha irá parir um rato. Tudo se resumirá na aplicação de umas coimas surrealistas e um obrigatório silenciamento temporário aos prevaricadores. Louve-se, pelo menos, o silêncio.

 

De fora fica a conduta da Sport Tv.

Recorde-se as preocupações levantadas, na altura, relativamente às possíveis transmissões dos jogos do Benfica na BTV. Alegava-se estar causa a ética desportiva, colocavam-se dúvidas sobre a postura a adoptar pelo canal, questionava-se a parcialidade dos comentários e principalmente da edição das imagens, com alguma legitimidade diga-se.

Passado todo este tempo verificou-se que as preocupações suscitadas não tinham razão de ser. 

No entanto, relativamente a outro canal sempre existiram e continuam a existir criticas em relação à sua conduta. Ainda nesta última jornada, o jogo no Dragão, houve reparos à edição de imagens, nomeadamente às não editadas. 

Será que este canal, como outros, estão isentos de escrutínio? Não têm eles, também, a obrigação de isenção? 

Da comunicação social, tão expedita em relação à BTV, continua apenas preocupada com "faits divers". 

Não sei se o Benfica está a fazer alguma coisa relativamente a isso, até agora e que eu saiba ainda não se prenunciou publicamente.

Relativamente aos consumidores, em especial os Benfiquistas, infelizmente vejo que muitos deles não leva o caso muito a sério e continuam a contribuir mensalmente para que tudo fique na mesma.

Até quando.

 

Acorda Benfica.

 

          

publicado por Tasqueiro às 16:31
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 7 de Novembro de 2016

O habitual

 

Já se estava a perder mas este ano recuperou-se a tradição. O jogo da vida de uns contra o bloqueio mental de outros.

De certo modo compreendo os jogadores do Benfica, não deve ser fácil levar com todo aquela raiva e ficar indiferente, mais as ausências, era de facto uma tarefa hercúlea.

Uma palavra de admiração e gratidão para os adeptos Benfiquistas presentes, uma autêntica demonstração de amor e principalmente de coragem.

Uma arbitragem tipo agre e doce. Se por um lado não se deixou levar por simulações, também não as puniu. Faltas só mesmo em território vermelho, do outro lado o mar estava “flat”. 

E assim se passou mais um dia de festa, pelo menos assim se tenta vender o momento. O ódio e o medo, sentimentos tão comuns em estado de guerra.

 

          

publicado por Tasqueiro às 16:08
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 24 de Outubro de 2016

O importante é vencer dentro das 4 linhas

 

Foram dois dias de conquistas e vitórias dentro do terreno de jogo.

 

Nas modalidades foram conquistadas as Supertaças no vólei e no hóquei feminino. Venceram ainda os respectivos jogos para o campeonato as Equipas do andebol, basquete, hóquei e futsal.

 

Nos relvados vitórias da Equipa B e da Equipa principal.

 

Há ainda que sinalizar a importante vitória de 4ª feira na Ucrânia, pontos esses que alem de valerem uma considerável quantia de dinheiro, mantêm o Benfica na corrida à fase seguinte da Champions.

 

 

 

Fora das quatro linhas os jogos são outros e aí é o rival do Campo Grande que dá cartas. Nelson Évora foi apresentado com pompa e circunstância em Alvalade no intervalo do jogo contra o Tondela.

À semelhança do que aconteceu com Maxi e Jesus, também Nelson foi seduzido pelos números, pelo que tudo indica, vai duplicar o vencimento que auferia no Benfica.

 

Relativamente a este assunto apenas uma observação a fazer: tanto Porto como o Sporting, ao abrirem os cordões à bolsa, estão a premiar estas personalidades pelo que fizeram no Benfica.        

 

                  

publicado por Tasqueiro às 15:54
link do post | comentar | favorito
|

.Rodadas

contador de visitas
compteur gratuit
contador de visitas

.pesquisa

.Março 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Insuficiente

. Jogo (d)e bastidores

. Mentalidade

. Vitória importante

. A vitória do descontentam...

.links

.arquivos

.tags

. todas as tags

.mais sobre mim

blogs SAPO
RSS