Terça-feira, 6 de Dezembro de 2011

Acidente de percurso?

 

Íamos tão bem.

 

Apanhado de surpresa pela fraca qualidade de jogo do Marítimo (como pode ir em 4º lugar no campeonato?), julgava que iria ser um passeio, isto até ver, ou melhor, não ver o futebol praticado pela equipa do Benfica.

 

Foi graças a JJ (e a uma equipa fabulosa) que ganhámos o último campeonato e, também graças a ele, que jogámos um futebol espectacular, que só devido a particularidades do futebol portoguês, só deu para ser campeão com uma vantagem de 3 pontos.

 

O que se seguiu? Fiasco atrás de fiasco, e com isso, humilhação seguida de humilhação.

 

Posto isto, o meu sentimento é de revolta. Apetece-me partir a boca a JJ, assim como, a alguns jogadores que participaram (ou não) no “recreio”.

 

Sei que faltavam muitos titulares e tal, mas isso (apesar de algum exagero), para mim, não é justificação. Os nossos suplentes são mais dispendiosos do que toda a equipa insular, sem desculpas portanto.

 

O futebol praticado foi pobre, muito abaixo do exigível para a qualidade do plantel.

 

Eduardo, à boa maneira Robertiana, deu uma “casa” de todo o tamanho, tão grande, que o jogador madeirense, mesmo em dificuldade e marcado por 2 defesas, conseguiu, com a biqueira da bota, fazer o mais difícil, um golo de chapéu. Espero que os responsáveis do Benfica se deixem de boas acções e ponham Eduardo numa posição mais favorável para ser chamado à selecção, ou seja, despachá-lo.

 

Garay, ainda hoje, deve estar com os nervos em franja, depois da dupla que fez com Jardel. Miguel Vítor (depois de uma soberba exibição em Manchester) ficou no banco a fazer o quê?

 

Gaitan, o agridoce, tanto se exibe como uma águia imponente, em todo o seu esplendor, como parece um pombo e toda a sua porcaria associada. O banco, talvez seja um bom estímulo (a começar pelo jogo da Champions. Queres montra? Trabalha para ela).

 

Emerson, apesar de toda a entrega, continua a dar pouca consistência ao sector. Nem na Taça Capdevila tem uma oportunidade, é preocupante e demonstra o carácter do “artista”, que comanda as tropas.

 

Saviola andou longe do seu melhor (o que passa?) e Witsel não esteve nos seus dias.

 

Aimar e a sua qualidade Superior, não foi a tempo de remediar a situação, a equipa já estava formatada para, só dar aquilo.

 

Fico por aqui, a desilusão é tão grande que me está a afectar o raciocínio, espero que tenha sido a última.

 

Com excepção de Manchester, o futebol de JJ, este ano, não tem ponta por onde se lhe pegue. Não há fio de jogo, nem sequer vestígios, e isso, é preocupante.

 

                         

 

publicado por Tasqueiro às 12:14
link do post | comentar | favorito
|

.Rodadas

contador de visitas
compteur gratuit
contador de visitas

.pesquisa

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Empate amargo

. Imprescindível vencer

. Insuficiente

. Jogo (d)e bastidores

. Mentalidade

.links

.arquivos

.tags

. todas as tags

.mais sobre mim

blogs SAPO
RSS