Terça-feira, 14 de Maio de 2013

O que sinto

 

Quando já tudo aconteceu é fácil fazer críticas sobre decisões tomadas. No dia da ressaca, dizia um amigo, ainda novo, mas já com algum conhecimento de causa, que o erro de Roderick nem no Inatel aconteceria. A jogada terminava ali, impunha-se a falta para interromper o ataque. Ao princípio achei aquilo tudo certo, mas depois lembrei-me das vezes, sem conta, que uma falta naquele local, com o jogo a terminar deu em tragédia. Bola lá para cima e toma lá disto. Nessas alturas questionaram-se as razões das faltas.

 
O golo, no tempo e na execução foi dramático. Faltava 1 minuto para tudo acabar e a bola, caprichosamente, levou a única trajectória possível. Foi azar?! Foi desleixo?! Foi mérito do adversário?! Julgo que sim. Todas estas são válidas. No entanto, o campeonato não se resume a este jogo, e aí, no resto, o Benfica foi melhor. Foi melhor porque teve de jogar mais, e jogou mais, porque se esforçou mais. Obrigaram-no a isso, foi a superação dos adversários que assim o determinou. Mais futebol, mais e melhor qualidade, logo melhor espectáculo. Nos Óscares ganhava o Benfica. Por cá, o troféu e as atenções vão “sempre” para um, mas o mérito tem sido de muitos.

Só por isso, já me passou pela cabeça que devíamos de propor um incentivo ao Paços. Ganhar ou, pelo menos, não perder, 1 milhão … cash.

 

               

publicado por Tasqueiro às 10:29
link do post | comentar | favorito
|

.Rodadas

contador de visitas
compteur gratuit
contador de visitas

.pesquisa

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Empate amargo

. Imprescindível vencer

. Insuficiente

. Jogo (d)e bastidores

. Mentalidade

.links

.arquivos

.tags

. todas as tags

.mais sobre mim

blogs SAPO
RSS