Segunda-feira, 16 de Outubro de 2017

Insatisfatório

 

Exibição demasiado fraquinha, contra uma equipa de escalão muito inferior, começa a ser inquietante. Sei que a história tem muitos destes resultados e exibições nestas fases da prova, mas o problema é que na presente época tem sido esta a bitola.   

 

Esperava-se mais, muito mais. De jogadores e especialmente do treinador.

 

A estratégia do Olhanense foi, desde início, clara como a água: defender e contra-atacar pela esquerda (para a velocidade de Jefferson). Douglas perdeu todos os lances e Rui Vitória nunca conseguiu arranjar uma solução.

 

Bons apontamentos:

Gabriel marcou um belíssimo golo, cheio de oportunidade e classe. Talvez tenhamos aqui uma solução para o lugar do Grego.

Svilar surpreendeu pela sua tranquilidade. Sempre muito atento, é rápido, mostrou destreza com os pés … boas indicações.

 

 

Confesso que vejo o próximo jogo com muita apreensão, por muito que me custe admitir, a jogar assim receio um massacre na 4ª feira.

 

            

publicado por Tasqueiro às 15:18
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 8 de Outubro de 2014

Goleada de e com estreias

 

Para alem da vitória e dos 3 pontos, também gostei bastante da estreia de Lisandro, Pizzi, Jonas e Derley.

Lisandro já o conhecia da outra pré-época, tendo ficado com boas recordações. Fez um jogo bem conseguido, evidenciando no entanto alguma falta de ritmo e entrosamento, natural de uma estreia. Esteve perto de marcar na sequência de um canto, característica que felizmente possui.

Pizzi jogou muito pouco para que se possa adiantar qualquer coisa, no entanto ficou claro que possui bons pés.

Jonas entra para a história, uma estreia com golo. Revelou ter classe, é de remate fácil e espontâneo, o que é uma excelente notícia. Começou da melhor maneira.

Estreia também para Derley, neste caso a marcar, que seja o primeiro de muitos. Com Talisca em brasa e Lima no estaleiro, pode ser a oportunidade de agarrar a titularidade.

 

É sempre importante recordar que Jesus não pôde contar, desde o início do Campeonato com Sílvio, Fesja, Ruben Amorim e Sulejmani, a quem neste jogo se juntaram Jardel e Enzo. Gaitan também saiu com queixas.

Vem agora um intervalo de duas semanas devido, (infelizmente) a dois jogos da selecção e (felizmente) a eliminatória da Taça de Portugal, com o Covilhã.

 

O árbitro deixou jogar tanto, tanto, tanto, que cheguei a pensar que se tinha esquecido dos cartões no balneário. Nada de estranhar, até porque durante estes anos todos (e já lá vão bastantes), o Benfica teve sempre inícios de épocas dificultadas por arbitragens extremamente adversas.  

O Xô Presidante da naçon explica: O objectivo é atrasar, desmotivar, fazer duvidar capacidades.

                    

        

publicado por Tasqueiro às 11:46
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 17 de Abril de 2013

9 jogos, 8 finais

 

Após mais 5 jogos em 16 dias, 2 para a Liga, 2 para a Europa e 1 para a Taça de Portugal, continuamos sem derrotas (3 vitória e 2 empates) nas 3 competições.

 

Falta um mês (19/05/2013 – última jornada) para terminar o Campeonato. São 5 jogos e se vencermos os próximos 4, festejamos o 33º Título de Campeões no estádio da fruta.

 

Pelo meio, dois jogos complicados para a Liga Europa. O Fenerbahçe está bem apetrechado com bons jogadores e o jogo na Turquia vai ser duro.

Espero um bom resultado (mínimo um empate) na 1ª mão, para depois resolver-se a eliminatória na Luz.

 

A Taça de Portugal está a um jogo de distância. Será o último da temporada.

  

Liga Zon Sagres (26ª jornada)

Benfica x Sporting

 Estádio da Luz (Dom - dia 21) 20:15 h

 

 

Suplentes: Paulo Lopes, Jardel, André Almeida, André Gomes, Aimar, Gaitan e Rodrigo.

 

 

FORÇA BENFICA

 

publicado por Tasqueiro às 17:18
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 26 de Fevereiro de 2013

Factos

 

Desde o último post, já lá vão 31 dias, o Benfica já fez 10 jogos (+ 2 do que o porto), tendo alcançado 9 vitórias e 1 empate.

 

Dos 10 jogos (em 28 dias), 6 foram para o campeonato (5 vitórias e 1 empate), 2 para a Taça de Portugal (2 vitórias) e 2 para a Liga Europa (2 vitórias).

 

Ao todo, foram 22 golos marcados e 4 sofridos.

 

Amanhã será mais um dia de jogo para nós e um de descanso para o porto. São 3 partidas (270 minutos, fora os descontos) a mais nas pernas, contrariando o conceito, jornalístico, de que ambos têm os mesmos jogos.

 

Outra máxima, muito usada na comunicação social, é a do cansaço dos jogadores do Benfica em comparação com a frescura dos do clube da fruta. Não sou perito em matéria de cansaço, seja ele físico ou psicológico, mas os factos não parecem corroborar com essas reflexões. Em 11 dias, o Benfica fez 4 jogos (4 vitórias), ganhámos ao Leverkusen fora e em casa, conseguimos furar o autocarro académico e terminámos com uma goleada à equipa sensação do campeonato.

 

                                

publicado por Tasqueiro às 17:30
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sexta-feira, 23 de Novembro de 2012

Benfica vence a crise anunciada

 

Com todas as condicionantes (vendas de jogadores titulares, castigos e lesões), o Benfica contínua em todas, atropelando todas as teorias da desgraça anunciadas pelos jornalistas e colunistas da nossa “isenta” comunicação social.

 

Em termos nacionais, vamos em 1º juntamente com o clube do papa. Podem, os nossos concorrentes agradecer as arbitragens na Luz com o Braga (golo limpo anulado) e em Coimbra com Académica (penalti por assinalar), pois já estaríamos no poleiro isolados com 4 pontos de diferença (e mais 2 golos marcados).

 

Na próxima jornada recebemos o Olhanense e as dificuldades vão ser muitas, já que o apitador de serviço será o Rui Silva, menino de “boas famílias” que já esteve suspenso devido ao processo apito dourado. Dizem as estatísticas que gosta de mostrar cartões amarelos, facto que pode beneficiar o Sporting (e o Porto), já que é o clube que se segue.

 

Relativamente a Taças, vencemos o Moreirense (carrasco dos lagartos) numa partida marcada pelo regresso do Capitão. Os oitavos são ainda uma incógnita, podendo calhar um dos três candidatos: Aves, Coimbrões ou Caldas.

 

A nível internacional, estamos a pagar a factura da péssima exibição e consequente resultado (derrota) na Russia. Tivesse o Benfica conseguido a vitória e já estaríamos nos oitavos. Resta fazer boa figura em Camp Nau, creio que a vitória seja o único resultado que nos permite continuar na Chapions, pois acredito que o Celtic irá ganhar aos Russos em Glasgow. Seja como for, a caminhada europeia vai continuar.

 

Miguel Rosa bisou na sofrida vitória contra o Covilhã, marcando o tento da vitória já em tempo de descontos. O Capitão da Equipa B tem faro para o golo, foi considerado o melhor jogador da 2ª liga por duas vezes consecutivas, é um dos melhores marcadores e já merecia fazer uma peladinha pela Equipa principal.

 

 

            

publicado por Tasqueiro às 13:58
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Terça-feira, 6 de Dezembro de 2011

Acidente de percurso?

 

Íamos tão bem.

 

Apanhado de surpresa pela fraca qualidade de jogo do Marítimo (como pode ir em 4º lugar no campeonato?), julgava que iria ser um passeio, isto até ver, ou melhor, não ver o futebol praticado pela equipa do Benfica.

 

Foi graças a JJ (e a uma equipa fabulosa) que ganhámos o último campeonato e, também graças a ele, que jogámos um futebol espectacular, que só devido a particularidades do futebol portoguês, só deu para ser campeão com uma vantagem de 3 pontos.

 

O que se seguiu? Fiasco atrás de fiasco, e com isso, humilhação seguida de humilhação.

 

Posto isto, o meu sentimento é de revolta. Apetece-me partir a boca a JJ, assim como, a alguns jogadores que participaram (ou não) no “recreio”.

 

Sei que faltavam muitos titulares e tal, mas isso (apesar de algum exagero), para mim, não é justificação. Os nossos suplentes são mais dispendiosos do que toda a equipa insular, sem desculpas portanto.

 

O futebol praticado foi pobre, muito abaixo do exigível para a qualidade do plantel.

 

Eduardo, à boa maneira Robertiana, deu uma “casa” de todo o tamanho, tão grande, que o jogador madeirense, mesmo em dificuldade e marcado por 2 defesas, conseguiu, com a biqueira da bota, fazer o mais difícil, um golo de chapéu. Espero que os responsáveis do Benfica se deixem de boas acções e ponham Eduardo numa posição mais favorável para ser chamado à selecção, ou seja, despachá-lo.

 

Garay, ainda hoje, deve estar com os nervos em franja, depois da dupla que fez com Jardel. Miguel Vítor (depois de uma soberba exibição em Manchester) ficou no banco a fazer o quê?

 

Gaitan, o agridoce, tanto se exibe como uma águia imponente, em todo o seu esplendor, como parece um pombo e toda a sua porcaria associada. O banco, talvez seja um bom estímulo (a começar pelo jogo da Champions. Queres montra? Trabalha para ela).

 

Emerson, apesar de toda a entrega, continua a dar pouca consistência ao sector. Nem na Taça Capdevila tem uma oportunidade, é preocupante e demonstra o carácter do “artista”, que comanda as tropas.

 

Saviola andou longe do seu melhor (o que passa?) e Witsel não esteve nos seus dias.

 

Aimar e a sua qualidade Superior, não foi a tempo de remediar a situação, a equipa já estava formatada para, só dar aquilo.

 

Fico por aqui, a desilusão é tão grande que me está a afectar o raciocínio, espero que tenha sido a última.

 

Com excepção de Manchester, o futebol de JJ, este ano, não tem ponta por onde se lhe pegue. Não há fio de jogo, nem sequer vestígios, e isso, é preocupante.

 

                         

 

publicado por Tasqueiro às 12:14
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 2 de Fevereiro de 2011

Força rapazes

 

 

 

 

 

 

                    

Sem invenções

 com raça, querer e ambição

para vencer a Taça

e ambicionar o Benfica Campeão

 

 

          

publicado por Tasqueiro às 16:33
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 14 de Janeiro de 2011

A Taça, o mercado e o folclore

 

Foi em ritmo de treino, mas com muita competência, que o Benfica goleou (5 x 0) o Olhanense e deu mais um passo para a final no Jamor.

 

O clube que se segue é o Rio Ave, nos quartos de final, será a 3ª equipa consecutiva da 1ª Divisão que sai ao Benfica (SP.Braga – 4ª eliminatória e Olhanense – oitavos de final), nesta edição da Taça.

 

Da 1ª Divisão restam, Vitória de Guimarães, Académica, Rio Ave e o Benfica. O FCP também lá está, mas já se encontra nas meias-finais, quando se apanha “pexotes” é assim, anda-se mais depressa.

A outra equipa ainda em luta na Taça de Portugal é o Merelinense, que irá medir forças com o Vitória.

 

 

 

Agora o mercado.

 

Certos estão Jardel (central) e Fernandez (extremo), mas segundo os jornais, ainda estão na calha, alguns com pré-acordos, Carol (lateral), Taiwo (lateral) e Nolito (extremo).

 

A maioria vem em final de contracto, pelo que o Benfica não irá despender muito dinheiro nas aquisições, em todo o caso, não deixa de ser muita “gente” (vencimentos) a juntar aos que já cá estão.

 

Em sentido contrário está Fábio Faria, que foi emprestado ao Valladolid, equipa da 1ª Divisão de Espanha.

 

Pelas entradas, prevejo tempos difíceis para Miguel Vitor (central), Rodrick (central), Sidnei (central), Fábio Faria (central), Cesár Peixoto (lateral – não vai deixar saudades), Urreta (extremo) e um sem número de jogadores da formação, para os quais esta época será a ultima nos juniores.

 

David Luiz deve de estar de saída, Coentrão também e Salvio é uma incognita (preço anda nos 8 milhões), ele é bom jogador, mas valerá o dinheiro?

 

 

Resta o folclore.

 

Chamo-lhe folclore porque não sei como hei-de denominar as afirmações do Vilas Boas.

Diz ele que quer fazer história no futebol português ao ganhar por 3x consecutivas a Taça de Portugal, as ultimas 2 foram vencidas pelo seu clube, e esta, seria a 3ª consecutiva, um facto histórico diz ele.

 

Bem, só se for no clube onde treina, porque no Campeonato português, há mais que um tri, o Benfica consegui-o (nas épocas entre 1984 e 1987) e o Sporting também (1944 a 1948 – na época 46/47 não houve edição da Taça).

Vejam bem que até há, quem tivesse ganho a Taça 4x consecutivas. A proeza é do Benfica, conseguida entre o ano de 1948 e 1953 (na época de 49/50 não houve edição da Taça).

 

Os média são tão competentes, que para além de ainda não terem desmentido Vilas Boas, ainda pactuam com o erro dando-lhe cobertura, com se as afirmações estivessem correctas.

 

Como diria Fernando Pessa, e esta hein?

 

 

                 

publicado por Tasqueiro às 10:38
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 19 de Outubro de 2010

A Taça, o Boicote, o Discurso e a Champions

 

 

A Taça

 

Obrigação cumprida.

 

Kardec deu mostras de estar à altura da titularidade, merece-a.

 

Gaitan jogou, fez jogar e até marcou. Há, quem diga que é na esquerda que deve jogar, outros que é na direita que joga melhor, na minha opinião, julgo que em ambos os lados pode desenrascar, mas o lugar dele é no meio, será o natural substituto de Aimar.

 

Airton deve ter mais oportunidades, só assim estará preparado para alguma eventualidade.

 

 

  

O Boicote

 

Não só concordo com o boicote aos jogos fora da Catedral, como apoio a abertura de uma excepção.

 

Foi com agrado que ouvi a ultima decisão relativa ao jogo contra os andrades, é mais uma pedra na engrenagem da máquina mafiosa. Provavelmente já esfregavam as mãos de contentes, seria a situação perfeita, em casa e sem oposição, vá lá vai! Deliciosa a referência ao “especial two”:

 

Depois de assistirmos, na conferência de imprensa de ontem, a mais uma manifestação de benfiquismo do senhor Villas-Boas - aliás, não há uma única conferência de imprensa em que este não fale do Benfica -, decidimos pedir os bilhetes e retribuir-lhe tamanho entusiasmo” 

 

Neste caso, o boicote só iria beneficiar o infractor, pois seria insignificante o prejuízo que a nossa ausência lhes iria causar. Com casa cheia, mais 2 mil, menos 2 mil, monetariamente é irrelevante.

 

Mas tudo muda quando falamos de clubes mais pequenos, a presença do Benfica é sinónimo de casa cheia (provavelmente a única da época), em muitos dos casos, o suficiente para saldar a época.

 

 

 

O Discurso

 

“Ser do FC Porto era ser o que o FC Porto era: um clube a fechar-se dentro de uma região, a olhar todo o resto de Portugal como um espaço de inimigos em delírio, de mouros a abater. O Benfica dava-me a imagem oposta: a ilusão de um universo sem limite.                                                              


Naquele tempo, ser Benfica era escolher simbolicamente a liberdade. Enquanto os nossos adversários tinham a dirigi-los homens da Legião, deputados da União Nacional, magnatas e burocratas enfeudados no salazarismo, nós, no Benfica, tínhamos presidentes que tinham sido operários e sindicalistas, que tinham sido deportados e perseguidos pela PIDE, que não se resignavam à ditadura, antes pelo contrário.

                                  

Não, o Benfica nunca foi o clube do regime, foi sempre o clube que o regime teve de suportar a contragosto e de que, depois, se apoderou para, na sua propaganda, lhe parasitar a glória. Acusaram-nos de sermos ridículos por ameaçarmos não jogar no Dragão se não nos derem condições de segurança. Ridículos? Só assim, levando essa nossa luta para além dos 3 pontos que estão em jogo, poderemos ganhar o que é preciso ganhar: a batalha por um futebol mais respirável, menos subterrâneo. Onde a viagem a um estádio não se transforme na vertigem de uma intifada com meia dúzia de aprendizes de talibãs escondidos a rirem-se dos vidros partidos, dos desaforos, dos insultos, do sangue talvez.”

 

(Carlos Moía – Presidente da Fundação Benfica)

 

Elucidativo.  

               

 

 

A Champions

 

É necessário pontuar.

 

Um empate não seria mau, mas o objectivo tem de ser a vitória.

 

O meu receio é que o Lyon está em crise, e quando assim é, o Benfica costuma ter atitudes de compaixão e facilitismo.

 

                 

          

publicado por Tasqueiro às 12:13
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Terça-feira, 16 de Dezembro de 2008

Ainda o jogo da Taça

 

O jogo no Estádio do Mar até foi interessante, teve intensidade, mas as poucas oportunidades de golo tornaram-no pouco emotivo. Os jogadores de ambas as equipas esforçaram-se e, a espaços, praticou-se bom futebol. Houve muitos passes falhados, é certo, mas isso resultou de marcações muito cerradas (por vezes a roçar a agressão) por parte dos jogadores do Leixões. O Árbitro, relativamente ás entradas duras por parte dos homens do mar, fez que não viu, os cartões ficaram no bolso e quem sofreu foi o Reyes e companhia.

 

(É curioso, o facto de nos últimos jogos, o Benfica tem sempre maior posse de bola, mais ataques, mais remates, e no entanto, é a equipa que mais amarelos leva.)

 

Neste jogo, o Árbitro, foi demasiadamente exigente com os jogadores encarnados e tolerante com os seus adversários, por exemplo: O Reyes levou um amarelo por protestos, enquanto outros, podiam berrar à vontade que nem sequer foram advertidos. Houve entradas duras e até algum chinfrim, num desses desentendimentos (formação de barreira), Nuno Gomes levou com o respectivo cartão enquanto o causador da discórdia ficou impune.

 

Há ainda, as faltas dentro da área, aquelas que dão direito a pénalti. Nuno Gomes sofreu-as, por duas ocasiões. Uma em que foi empurrado pelas costas, enquanto se isolava com a bola, e outra, numa confusão com o guarda-redes adversário, onde este puxa o pé do avançado, impedindo-o de chegar à bola. Nesta última, até dou o benefício da dúvida ao árbitro, devido á confusão instalada, mas na primeira, o empurrão é claro.

 

Independentemente destas condicionantes, o Benfica tinha a obrigação de ganhar, tem melhores jogadores e uma massa adepta incomparável. Seja a jogar contra 11, 12, ou até 14 adversários, o objectivo deve ser sempre a vitória. O jogo era complicado, jogava-se na casa do 2º classificado, uma das equipas que melhor futebol pratica em Portugal e a mais determinada em campo. São estas adversidades, que deviam de servir de base para a motivação, e é aí, que o Benfica falha.

 

Espera-se que a partir de agora, e depois de mais este objectivo (também a UEFA) falhado, os jogadores se unam e consigam a determinação necessária para vencer o campeonato. 

 

 

P.S: Os jogadores do Benfica têm sido alvo de entradas violentas e até agressões, mas, em nenhuma destas situações, houve amostragem de cartões (deviam de ser vermelhos e nem amarelos foram) e, em poucas ocasiões foram marcadas faltas. No entanto, não há sumaríssimos, nem o assunto tem o mesmo realce na comunicação social comparando com o sucedido (sumarissimos) com os jogadores encarnados. No mínimo estranho.

 

 

   

publicado por Tasqueiro às 22:27
link do post | comentar | favorito
|

.Rodadas

contador de visitas
compteur gratuit
contador de visitas

.pesquisa

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Insatisfatório

. Goleada de e com estreias

. 9 jogos, 8 finais

. Factos

. Benfica vence a crise anu...

.links

.arquivos

.tags

. todas as tags

.mais sobre mim


. ver perfil

. 5 seguidores

blogs SAPO
RSS