Quinta-feira, 28 de Novembro de 2019

É preciso mais

 

São nestes jogos da Champions que se pode avaliar a real valia do plantel do Benfica. Independentemente das ideias e escolhas do treinador é na disputa directa, entre os jogadores, em campo que se consegue perceber a limitação dos nossos. Penso que não temos o que é preciso para vingar nestas andanças.

A qualidade dos artistas é um dos motivos para não termos sucesso nesta competição.

Outro, este com ligação directa ao primeiro, é o arcaboiço psicológico dos jogadores, factor determinante em qualquer competição, e aí entramos quase sempre em desvantagem.

Depois, e não menos importante, é a intensidade de jogo. A competição em Portugal em comparação com as melhores ligas europeias é, salvo raras excepções, equivalente a uma estância de férias.

Juntamos a carência destes três factores e temos a tempestade perfeita.

 

O plantel do Benfica é constituído por 30 jogadores, não é preciso ser perito na matéria para se chegar à conclusão de que se trata de um número excessivo, prejudicial para a competitividade e desastroso para consolidação de jogo. Equipam-se 18, só 14 têm a possibilidade de jogar e o resto vai para a bancada. Um desperdício de recursos (humanos e financeiros) e uma danosa gestão de espectativas.

Não seria mais “saudável” criar um plantel constituído por um núcleo de 18 jogadores, todos (ou a maioria, tipo 15 ou 16) de nível superior? Suficientemente experientes, tecnicamente superiores, o indispensável para não tremem num jogo de Champions !? Até podem ser da formação (ex: Ruben Dias), ou aquisições nacionais (ex: Rafa), têm é de ser dos bons.

Aquisições, sejam nacionais ou estrangeiros, que não tenham capacidade/atributos para jogar (e fazer a diferença) num dérbi, num clássico ou numa Champions, não podem fazer parte do plantel do Benfica.

É fundamental uma maior interactividade entre o plantel principal e as equipas de formação, nomeadamente equipa B e Sub-23. Não faz sentido jogadores com Gedson ou Jota terem tão poucos minutos de competição. Se não vai a jogo numa, tem de jogar na noutra, não pode é ficar parado no tempo à espera da oportunidade. Tudo tem de ser mais fluido.

 

É preciso mais exigência … a começar pelos líderes.

 

Estamos fora da Champions. Este até foi um jogo com bastante competitivo, o Benfica jogou com as armas que tinha e foi dando conta do recado. Fê-lo melhor que em jogos anteriores, aí sim, onde perdemos o comboio para a fase seguinte.

 

            

                    

publicado por Tasqueiro às 15:20
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 6 de Novembro de 2019

Redefinir objectivos

 

O regresso à penosa realidade das competições europeias. O Benfica demostrou mais uma vez não ter estofo para estas andanças.

 

Os adversários superam em força, em rapidez e experiência. A aposta na formação é estratégica e acertada, o erro está no procedimento dessa mesma aposta.

 

O Benfica tem no plantel principal 30 jogadores, número que acho excessivo e que vai contra as ideias de Lage, mas que por razões inexplicáveis é a escala com quem tem de trabalhar.

 

A este nível é necessário arcaboiço psicológico e para isso é imprescindível a experiência. Um jovem, por maior que seja a sua qualidade, tem de entrar num ambiente estável, onde se sinta protegido. Esse amparo é oferecido por jogadores experientes e de qualidade inquestionável.

 

Os jogadores estrageiros que façam parte do plantel têm, inevitavelmente, de fazer a diferença. O mesmo serve para aquisições nacionais.

 

O Benfica desperdiça tempo, espaço e principalmente recursos com jogadores em fim de linha, sem a qualidade exigível, ou por razões desconhecidas, em jogadores como: Jardel, Conti, Ebuehi, Fesja, Samaris, Zivkovic, Caio Lucas e Taarabt. Há mais, mas ficamos por aqui.

 

 

A nível directivo a mensagem é barro na parede. Mude-se o paradigma ou a mensagem. Decidam, mas em tempo útil.

 

                     

publicado por Tasqueiro às 09:56
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 24 de Outubro de 2019

Quem tem medo compra um cão

 

Começa a ser óbvio o constrangimento que a Equipa do Benfica possui quando joga com equipas de maior valia. Foi assim para o campeonato com a equipa do papa de Vigo e é assim para os jogos da Champions.

Algo está mal e há demasiado tempo. O bloqueio psicológico tem de ser combatido e rapidamente, o Benfica não pode estar refém destes receios.

O temor amplia as dificuldades e pode ser determinante no insucesso. 

Desta vez conseguiu-se o resultado, foi à justa, com alguma fortuna, mas julgo que há talento para mais e melhor.

        

           

publicado por Tasqueiro às 11:21
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 3 de Outubro de 2019

Decepção

 

Esta derrota vai deixar marcas na Nação Benfiquista. Vamos aguardar, ou muito me engano, ou vai começar a contestação e ninguem vai escapar. Jogadores, equipa técnica e estrutura (esta já sentiu um cheirinho) que se preparem.

Lage tem vindo a perder o estado de graça e encontra-se numa fase de incerteza. Os Benfiquistas necessitam rapidamente de uma demonstração de firmeza ou o caldo pode entornar, situação que pode piorar a relação já de si instável com a estrutura, o que pode inevitavelmente gerar a saída do treinador.

O Benfica joga muito pouco e está cada vez mais parecido com as últimas exibições de Rui Vitória. Mau sinal.

A equipa entra em campo sempre na espectativa, o adversário é que decide o rumo e a intensidade do jogo. Verifica-se uma preocupante falta de competitividade nos jogadores e no banco demasiada apatia.  

Tanto no campo como no banco dá a sensação de que estão todos à espera de um rasgo individual que possa fazer a diferença. A bola, quando é nossa, rola demasiado nos pés dos jogadores e pouco sozinha. Tudo muito lento, sem grande convicção e o caminho escolhido é reiteradamente para os lados ou para traz.

O positivo deste jogo foi o golo de RDT.

 

Mudanças exigem-se.

   

publicado por Tasqueiro às 15:53
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 30 de Setembro de 2019

Tempos apreensivos

 

No futebol sénior masculino as exibições andam tremidas. Depois da péssima exibição na Taça da Liga, fruto de uma excessiva rotatividade, conseguimos mais 3 pontos arrancados a ferros contra um, já habitual, hostil Setúbal. Vinícius regressou em boa hora, é caso para Lage começar a definir um 11 com presença obrigatória do recente ”atirador”.

 

Quanto à arbitragem, são necessários vários adjectivos para classificar tamanha singularidade, eu diria que começa por ser irritante e acaba num estado de grande suspeita. A dualidade de critérios atingiu níveis obscenos e a carga de ombros ganhou uma nova definição.

 

 

Também a Assembleia foi tensa. O Presidente do Benfica passou-se da “marmita” e ia chegando a vias de facto com um sócio que foi ao palanque “picar” a estrutura.

 

Não querendo menosprezar o comportamento do Presidente do Benfica, que foi de todo lamentável, considero que o sócio que interveio não foi inteiramente sério nas suas exposições/questões ou anda mal informado.

 

A sua intervenção foi um amontoado de insinuações de ofensas e até de acusações, infundadas diga-se, em que os Órgãos Sociais do Clube são apelidados de falsos Benfiquistas (“amor sujo”). Luís Filipe Vieira foi enchendo, enchendo, até explodir.

 

Acho que o Presidente deve um pedido de desculpas aos sócios, uma pequena declaração, penitenciando-se pelo comportamento e aproveitar para esclarecer algumas questões das quais ele e os seus foram acusados.

 

Da parte do sócio, ou anda muito distraído, ou pior, foi uma acção premeditada. O melhor exemplo é a referência aos mails, topeiras e outros disparates, tudo matéria que a justiça vai desconstruindo em sede própria. Também o negócio Felix, já esclarecido mais que uma vez, foi alvo do orador. Fica o esclarecimento : os 10% são referentes ao aumento da cláusula de rescisão, na altura ficou assim acordado ... capicce?

 

O sócio se não está contente tem várias hipóteses: espera pelas eleições e vota numa alternativa; pode sempre juntar-se a uma alternativa; ou até criar a sua própria alternativa. O que o sócio não deve fazer é aproveitar uma AG para ofender gratuitamente a Direcção, insinuando e acusando sem provar o que quer que seja.

 

 

Acabo com uma mensagem a Lage: Amanhã queremos a raça, o querer e ambição no relvado. Boa sorte.

 

             

publicado por Tasqueiro às 15:50
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 23 de Setembro de 2019

3 pontos

 

Lage promoveu o 11 do costume. Desta vez não houve condicionados: Rafa Almeida e Seferovic, alvo de poupanças na jornada europeia, estiveram em pleno. Contudo foi um mau jogo, sem ideias, valeu pela resiliência.

 

Aguardo com espectativa a equipa que vai a jogo na taça da liga, é que Lage não faz gestão.

             

             

publicado por Tasqueiro às 14:41
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 18 de Setembro de 2019

Vã promessa da aposta além-fronteiras

 

Começa a ser repetitivo este Benfica nas competições europeias. Existe a entrega e o esforço por parte dos jogadores, mas falta sempre qualquer coisa para conseguir resultados positivos.

 

Parece-me obvio que no vasto plantel do Benfica há um onze perfeitamente à altura deste adversário alemão. O problema, tal como noutras ocasiões, essa equipa não vai a jogo.

 

A ausência de jogadores fundamentais para dar outra dimensão ao jogo do Benfica nestas partidas é recorrente. Seja por lesões, cansaço ou simplesmente por opção nunca se joga com o melhor onze.

 

As sucessivas lesões, em quantidade e gravidade, ano após ano, devem ter por parte da equipa técnica e da estrutura uma reflexão séria. Não pode ser só o azar a explicação para tanta contrariedade.

 

Relativamente às opções da equipa técnica, há uma clara aposta no campeonato em detrimento da champions. No campeonato jogam sempre os mesmos, com todas as vicissitudes daí decorrentes, com por exemplo o cansaço, as lesões dos titulares e a falta de ritmo dos jogadores que dão o corpo às balas nas competições europeias.

 

Há uma clara falta de rotatividade no campeonato. As substituições, geralmente tardias (como se verificou com Tomás Tavares) e repetitivas retiram oportunidades que são fundamentais para formar um plantel (rotinado e competitivo) à altura das exigências da época. Estas opções devem ser prática em jogos cujo resultado está feito ou em partidas teoricamente mais acessíveis, para que peças fundamentais sejam resguardadas para desafios mais exigentes.

 

Jogadores relevantes que se encontram lesionados ou condicionados:

André Almeida, Florentino, Gabriel, Gedson, Chiquinho, Zivkovic, Vinícius e Rafa.

 

Assim é difícil.

 

             

 

publicado por Tasqueiro às 09:28
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quarta-feira, 7 de Agosto de 2019

Whisky, 5 barrotes e 2 Canecos

 

O Benfica venceu a International Champions Cup, sendo o único Clube a somar 9 pontos (só vitorias), Chivas (3x0), Fiorentina (2x1) e Milan (1x0).

 

Pelos vistos foi coisa pouca e até talvez até humilhante:

«Então o que é que aparece da pré-época do Benfica? Um guarda-redes em grande forma e grandes postes, foram 5 bolas nos barrotes em 3 jogos.»

|Paulo Andrade, Sic notícias, antevisão à Supertaça

 

 

Eu acrescentaria 5 bolas na baliza do Sporting e mais um caneco no Museu Cosme Damião.

 

Concluindo e seguindo a linha de raciocínio de algumas figuras armadas em “experts” conclui-se que, de todos os ilustres adversários com quem o Benfica jogou na pré-época, o Sporting foi o mais fraquinho.

 

            

publicado por Tasqueiro às 09:21
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 18 de Julho de 2019

Plantel 2019/20 – (actualização)

 

Após o meu último texto, já lá vai um mês e meio, ocorreram algumas mudanças no plantel do Glorioso. Félix rendeu 120 milhões, Jonas terminou a carreira e Sálvio regressou a casa (fala-se em 7 milhões por 50% do passe). Por outro lado, fazem agora parte da família Benfiquista o avançado Raúl de Tomás e o guarda-redes Perin, sejam bem-vindos e que tenham toda a sorte do mundo.

Sendo assim, as minhas previsões estão desactualizadas (totalmente previsível), pelo que serve o presente artigo para actualização das mesmas.

 

Actualmente, o plantel que se encontra no continente americano é constituído por 27 elementos:

- Guarda-redes: Odysseas, Zoblin e Svilar;

- Defesas: R. Dias, Ferro, Jardel, Conti, Almeida, Grimaldo, Ebuehi, N. Tavares e J. Ferreira;

- Médios: Samaris, Florentino, Fejsa, Gabriel, Taarabt, Dantas, Pizzi, Rafa, Chiquinho, Cervi, Zivkovic e Caio Lucas;

- Avançados: Raúl de Tomas, Seferovic e Jota.

Há ainda Gedson e Perin, que apesar de se encontrarem ambos a recuperar de intervenções cirúrgicas, vão certamente fazer parte dos 23 eleitos por Lage. João Ferreira está de saída para a Juventus (fala-se em 10 milhões por 50% do passe). Fala-se ainda de uma derradeira aquisição, supostamente um avançado ao estilo de Jonas e Félix.

 

Posto isto e fazendo as contas: 27 + 2 + 1 = 30. Para atingir a meta dos 23, há um excedente de 7 jogadores e tendo em conta toda a conjuntura, chego às seguintes conclusões:

Com desfecho mais previsível:

  • Svilar - vai integrar uma equipa onde tenha oportunidades efectivas de jogar;
  • Zoblin – vai evoluir e aguardar por uma oportunidade jogando na Equipa B;
  • Dantas – à semelhança de Zoblin, vai evoluir e aguardar por uma oportunidade jogando na Equipa B;
  • Jota - excelentes indicações, assim tem tudo para ficar.

Mais difícil de prever:

  • Fejsa - deve estar de saída;
  • Zivkovic - entre o empréstimo e a venda, julgo que não faz parte dos planos de Lage;
  • Taarabt – a ausência de Gedson dá-lhe uma janela de oportunidade;
  • Cervi – está a lutar com Caio Lucas por um lugar;
  • Caio Lucas - está a lutar com Cervi por um lugar.

 

Previsão actualizada do plantel para a época 2019/20:

Plantel II 2019.20.jpg

 

                               

publicado por Tasqueiro às 11:29
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 31 de Maio de 2019

Plantel 2019/20

 

Iniciou a fase de preparação da próxima época, como sucede todos os anos, em todos os clubes e o Benfica não é excepção, vão haver saídas e entradas no plantel. Fazendo fé nas palavras dos representantes máximos do Benfica, o futuro passa pelo sucesso na europa e para isso é preciso talento.

O plantel do Benfica, que se sagrou brilhantemente Campeão nacional, era composto por 28 jogadores, fica a minha opinião sobre cada um deles:

  • Odysseas – diz-se que tem lacunas e falou-se na contratação de um guarda-redes, na minha opinião será difícil encontra melhor alternativa (preço/qualidade) a esta;
  • Svilar – precisa de jogar regularmente, deve ser emprestado;
  • Ivan Zlobin – a curto prazo um sério candidato a titular na equipa do Benfica, excelente suplente para uma rotatividade obrigatória;
  • Ruben Dias – titular indiscutível;
  • Ferro – possui o selo de qualidade, amadureceu e muito, na próxima época ainda vai estar melhor, discute lugar com Jardel;
  • Jardel –com a lesão perdeu a titularidade, tem 33 anos e um concorrente à altura;
  • Conti – demonstrou dificuldades de adaptação, deve ser emprestado até porque, no imediato, há melhores alternativas na formação;
  • Almeida – evoluiu de forma extraordinária, possui números significativos, é competente e bastante regular, seja quem for o concorrente não terá vida fácil;
  • Grimaldo – jogador acima da média, importante na manobra da equipa, titular indiscutível;
  • Ebuehi – uma lesão fê-lo perder toda a época, tanto pode ter uma nova oportunidade como estar de saída, Lage tem a palavra;
  • Yuri Ribeiro – esforçado mas insuficiente, prevê-se saída definitiva;
  • Corchia – esteve bem mas pareceu-me curto, fim do empréstimo;
  • Fejsa – com as lesões e o aparecimento de alternativas viáveis, perdeu preponderância na equipa, vulnerável a lesões, com boa proposta deve sair;
  • Samaris – qualidade e experiência, excelente dupla com Gabriel;
  • Florentino – sucessor de Fejsa, um autêntico polvo de meio-campo, importante para o que aí vem;
  • Gabriel – custou mas foi, com Lage agarrou definitivamente o lugar;
  • Gedson – polivalência, faz qualquer posição do meio-campo;
  • Taarabt – Lage deu-lhe uma oportunidade, não desperdiçou, consta que renovou contrato, na minha opinião só vale apena a aposta se for inscrito na Champions;
  • Pizzi – vital na manobra ofensiva da equipa, sinonimo de golos e assistências;
  • Rafa – esta época explodiu, este Rafa é titularíssimo;
  • Sálvio – um craque mas infelizmente muito frágil, muito importante no passado mas incerto no futuro, em caso de novo azar julgo que o lugar está salvaguardado com a formação;
  • Cervi – com a afirmação de Rafa vai competir com Caio Lucas um lugar no plantel;
  • Zivkovic – pouco utilizado, precisa de jogar, deve sair;
  • Krovinovic – com a lesão e a mudança táctica perdeu preponderância na equipa, muita qualidade técnica, continuidade vai depender da sua adaptação à nova realidade táctica;
  • Jota – teve algumas oportunidades e não conseguiu sobressair, precisa de jogar, um provável empréstimo seria benéfico para a sua evolução;
  • Jonas – este é uma verdadeira incógnita, problemas físicos crónicos mas um verdadeiro fora-de-série, possui ainda contrato por mais um ano. Fisicamente apto é imprescindível, no entanto se for para fazer de corpo presente, mais vale compensá-lo e procurar alternativas;
  • Félix – Indispensável;
  • Seferovic – a analogia da fénix, é limitado tecnicamente mas oferece dedicação máxima, o mais importante é que tem golo.

 Se o objectivo é formar uma equipa para estar entre as melhores da europa, é fundamental que se faça um esforço significativo, tanto a nível de retenção de talento como na aquisição do mesmo. Com recursos limitados, comparados com os concorrentes, o aumento de qualidade do plantel implica avaliação, ponderação, equilíbrio e fundamento.

Como treinador de bancada, tenho a minha opinião sobre a matéria, deixo aqui um ensaio sobre a construção do plantel para a época 2019/20:

Plantel 2019.20.jpg

O plantel está incompleto com lugares a preencher para atingir um total de 25 jogadores (lista a enviar à UEFA para a competição Champions). Entre compras lá fora (defesa esquerdo e ponta-de-lança, pelo menos) e a possibilidade do regresso de Chiquinho, temos ainda as soluções internas, nomeadamente: Varela, Taarabt, Krovinovic e a Formação.

                          

 

publicado por Tasqueiro às 14:17
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

.Rodadas

contador free

.pesquisa

.Novembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
30

.posts recentes

. É preciso mais

. Redefinir objectivos

. Quem tem medo compra um c...

. Decepção

. Tempos apreensivos

.links

.arquivos

.tags

. todas as tags

.mais sobre mim


. ver perfil

. 5 seguidores

blogs SAPO
RSS