Segunda-feira, 18 de Março de 2019

Competência

 

Dois jogos complicados ultrapassados com inteligência, muito suor e sacrifício.

 

Em Zagreb iniciámos o jogo com um onze de ensaio que não deu resultado, tendo Lage corrigido ao intervalo para concluir com uma exibição convincente e produtiva. Passámos à eliminatória seguinte, onde vamos encontrar um adversário teoricamente mais complicado, Lage tem inevitavelmente de ser mais exigente nas suas escolhas para as equipas iniciais.

   

Para o campeonato, jogou o melhor 11, tendo proporcionado uma excelente exibição e um resultado condizente. No fundo o que interessa são os 3 pontos, vendo friamente a conjuntura actual, o nosso concorrente directo dispõe de circunstâncias particulares. Detalhes que fazem a diferença, não fossem elas totalmente opostas aquelas de que nós possuímos. Basta ver a diferença abissal dos critérios que o árbitro Capela manifestou, em lances idênticos e em jogos separados por 5 dias.

 

Lage tem agora, nesta paragem, alguns dias para trabalhar o “processo”, pois o Benfica necessita, a nível interno, de jogar o dobro para poder alcançar o tão desejado 37.

 

Carrega Benfica.

 

         

publicado por Tasqueiro às 16:08
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 12 de Março de 2019

Decepção angustiante

 

Pior que a decepção de perder pontos em casa e nesta altura do campeonato é a forma angustiante como sofremos os golos.

O adversário sem nada ter feito para marcar consegue facturar 2 golos e roubar outros tantos pontos ao Benfica.

O azar (neste caso paragem cerebral) de uns é a sorte de outros. Claro que para se ganhar é preciso apostar, mas neste caso não encontro ditado que sirva esta fatalidade.

A arbitragem foi igual a si própria. Parece que, para além do desígnio nacional de salvar o Sporting, há também uma vontade arbitral de dificultar a vida ao Benfica. Em todas aquelas mãos na área, o árbitro não encontrou nenhuma que preenchesse os requisitos para a marcação de um penalti. A expulsão no fim do jogo veio com meia hora de atraso e num lance onde não pode haver qualquer dúvida de exibir um amarelo, nem que fosse o segundo.

 

Resta levantar a cabeça (em especial a Odisseas e Ruben) e no próximo jogo fazer melhor (ou igual, desde que não se repita idênticos erros).

 

                      

publicado por Tasqueiro às 15:22
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 8 de Março de 2019

Oscilação

 

Nestes últimos dois jogos, a Equipa do Benfica oscilou entre o bom e o medíocre.

No clássico fez um bom jogo, alcançando um desfecho notável. Conseguiu virar o resultado no jogo e na tabela classificativa, feito obtido num palco de extrema dificuldade, onde as leis universais parecem não se aplicar.

Arbitragem:

  • Penálti por assinalar sobre Pizzi
  • Golo do porto em fora-de-jogo
  • Penálti por assinalar sobre Ruben Dias (cometido por Casillas)
  • Faltou expulsão de Octávio por agressão a Gabriel
  • Faltou expulsão de Brahimi por agressão a Ruben Dias
  • Pepe devida ter sido expuslo por acumulação de amarelos, ambos por acções sobre Felix.

A tudo isto, e parece-me que não estou a ser faccioso, a opinião especializada trata com indiferença. Este país exalta com o 25 de Abril, mas parece-me que a ditadura de opinião se mantem.  

 

 

Ontem, tanto a exibição como o resultado foram maus. Prevêem-se muitas dificuldades para o jogo da 2ª mão, é preciso marcar 2 sem sofrer nenhum. 

Lage fez algumas alterações que não deram resultado, a começar pela entrada de Krovinovic. Na minha opinião, a fraca exibição do Benfica na Croácia deveu-se sobretudo às duas escolhas para as alas, Krovinovic não deu nem profundidade nem velocidade ao flanco e Gedson não conseguiu transportar bola e causar os desequilíbrios que tanto caracteriza Pizzi.

O lugar não é novo a Gedson, mas tem entrado para essa posição sempre no decorrer dos jogos, quando o resultado está feito e o objectivo é de contenção. Já Krovinovic, para além de não estar fisicamente a 100%, não tem as características necessárias para aquela posição. Grimaldo viu-se e desejou-se para dar profundidade mas esbarrou sempre na estagnação do Croata.

Para agravar a situação, perdeu-se a referência no ataque e a pressão alta com a lesão de Seferovic e Felix já começa a dar sinais de fadiga.

Resumindo, o jogo estancou no meio campo e nunca mais ganhou a fluidez necessária e tão característica de Lage. As substituições de pouco resultaram, até porque faltou sempre presença física no último terço do terreno.

 

Agora é concentração máxima para a recepção ao Belenenses, se havia jogo onde um resultado negativo não era determinante foi este na Croácia, a partir de agora todos são decisivos.

 

                   

publicado por Tasqueiro às 10:15
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 26 de Fevereiro de 2019

A calmaria antes da tempestade

 

Grande jogo por parte do Benfica. O Chaves vinha com a estratégia de não sofrer golos, nem que fosse necessário enfiar todos os homens junto à área, o que veio a confirmar-se pelo menos no primeiro quarto de hora de jogo.

Após o 1º golo tudo foi diferente. O Benfica tranquilizou e o Chaves inquietou-se. O jogo decorreu um pouco à imagem do Nacional mas com muito menos eficácia, ou o resultado teria sido semelhante.

Resumindo, mais 3 pontos, nenhum castigado ou lesionado, portanto tudo apostos para a grande batalha a norte. Local que é de uma outra dimensão, muito à imagem de Hitchcock, onde o mais absurdo pode muito bem acontecer com toda a naturalidade.

Espero que Lage leve para o Porto uma táctica revolucionária a todos os níveis. Uma que consiga anular quaisquer manipulações da realidade, aparições ilusórias ou manifestações sobrenaturais. Terá pois de ser um procedimento à Ghostbusters ou coisa parecida.

Os sócios e adeptos do Glorioso têm também de ter em conta que acima de Pecos tudo é diferente. Trata-se de uma realidade paralela.

Ao Benfica será necessário uma paciência de Jó, muita força e uma coragem infindável. E mesmo assim vai ser uma “via-sacra”.

 

Carrega Benfica.

 

               

publicado por Tasqueiro às 15:30
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 11 de Fevereiro de 2019

Dez a zero

 

Há jogos assim. São muito raros, é necessário uma convergência de situações para que haja a possibilidade de acontecer. É indispensável a equipa ter competência, tudo correr de feição e defrontar um adversário em dia não.

O golo madrugador, a grande exibição do Benfica e o avolumar do resultado foi afectando o estado psicológico dos jogadores do Nacional, o que levou o marcador para um resultado incomum, mas justo. Durante a 1ª parte ainda houve alguma réplica por parte do Nacional, mas o entrosamento e velocidade dos jogadores do Benfica fez a diferença.

O dia era de festa na Luz. Homenageavam-se as Casas do Benfica e celebrava-se o aniversário do Chalana. Casa cheia, a Equipa num bom momento e a chuva a acelerar os movimentos no relvado, foram os ingredientes para um dia memorável.

 

             

publicado por Tasqueiro às 09:23
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 6 de Novembro de 2018

Inépcia

 

Na minha juventude joguei futebol de onze. Foi a nível distrital e de inatel, mas a exigência estava lá, a pressão também, pelo menos a de não fazer má figura em frente a família, amigos, vizinhos ou até apenas conhecidos.

Lembro-me de fazer treinos onde apenas podíamos dar um a dois toques na bola, a finalidade consistia em treinar o corpo e a mente a pensar e executar rápido. Também me lembro muito bem de ouvir das boas, quando num exercício, que concluía num centro para a área, a bola não chegava em condições.

A ver o Benfica jogar, chego facilmente à conclusão de que estas práticas devem estar desactualizadas a este nível de exigência. Falo de um nível, tipo “10 anos à frente”.

Parece que no Moreirense a tradição se mantem.

Esteve tudo ao contrário, os azuis a jogar à Benfica e os vermelhos, um clube de escalão inferior, incapaz de ripostar.

Tudo torna-se ainda mais incompreensível quando é a segunda vez consecutiva, e antes já tinham ocorrido sinais inquietantes.

 

Mais uma vez as vozes no Benfica dividem-se. Nem tudo está mal, mas há definitivamente algo que está mal.

Afirma-se na BTV que aquele espaço é de democracia. Pois na minha opinião diria que é mais um espaço de consensos, o que é bastante invulgar para esta altura do campeonato. Num espaço de Benfiquistas é sempre difícil encontrar unanimidade, até mesmo em tempos de fartura.

 

JJ é dado como interesse do Benfica, com acordo verbal e tudo. Ainda não foi confirmado nem desmentido, e o Rui Vitória a arder. Ou isto é estratégia muito à frente (tipo 10 anos) ou inépcia total.

Aguarda-se uma posição, uma atitude ou acção. Qualquer coisa que accione uma consequência. Ou desmente-se os jornais, ou apresente-se uma alternativa, JJ é que não!!

 

              

publicado por Tasqueiro às 15:17
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 30 de Outubro de 2018

Altura de actuar com sapiência

 

Era uma oportunidade de liderar o campeonato, isolado à frente da concorrência. Um aditivo anímico após a derrota dramática em Amsterdam que iria serenar os ânimos, que se encontram exaltados, e dar uma força extra para os jogos importantes que se avizinham.

Aconteceu tudo ao contrário. Foi uma derrota humilhante que deixou os Benfiquistas à beira de um ataque de nervos, um treinador a ser contestado e o Presidente em dificuldades para o manter.

 

Os pessimistas querem a cabeça do treinador e os mais radicais sugerem eleições antecipadas. Os últimos acontecimentos aliados ao falhanço do penta e o pleno de derrotas na Champions fizeram transbordar o copo.

Os optimistas desvalorizam as duas derrotas consecutivas, sustentam-se nas boas exibições da equipa, nas muitas oportunidades falhadas e defendem Rui Vitória atribuindo-lhe o mérito de conseguir valorizar os jovens da formação.

 

A minha opinião não é tão radical como os pessimistas nem tão benevolente como os optimistas. Eu vejo jogadores perdidos em campo, com a obrigação de ganhar, sem saberem o que fazer e como lá chegar. Um treinador sem soluções e com muitas dificuldades em gerir o grupo de trabalho. Vão-lhe valendo os tiros certos na formação.

Vejo uma estrutura demasiado focada no negócio. Não consigo desassociar a má gestão do plantel com os negócios cozinhados nos gabinetes. 

 

O Benfica precisa de um treinador com peso na estrutura. Que não só perceba de futebol e que aposte na formação, mas que seja um Homem corajoso, um revolucionário que acabe com a ditadura financeira do Clube.

  

Aos Benfiquistas pede-se reflexão. As decisões precipitadas nunca deram bom resultado e este é um terreno fértil para oportunistas.

 

Para terminar, faz-me muita confusão este Benfica. As nomeações e respectivas performances da arbitragem têm sido uma incompetência. O VAR é um desastre. A Liga de Clubes idem. Os ataques da imprensa e dos aliados intensificam-se. O segredo de justiça parece um queijo suíço. O silêncio das entidades competentes é preocupante, mas a inércia do Benfica é medonha.

 

Acorda Benfica.

 

  

publicado por Tasqueiro às 15:03
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Domingo, 14 de Outubro de 2018

Estratégia

 

Nos últimos dois jogos fui bastante crítico com a equipa, com principal relevo para Rui Vitoria. Desta vez dou os parabéns a todos.

Contra este adversário em particular de pouco vale a tácita. Eles apresentam-se sempre em modo agressivo, baseado nos duelos físicos e lutas psicológicas. Aproveitando as constantes performances infelizes da arbitragem para com o Benfica, a estratégia faz todo o sentido e tem dado bons resultados.

Pois desta vez, Rui Vitória abordou o jogo de forma estratégica. Não descurou a tática mas remeteu a mesma para segundo plano. Havia primeiro que criar grande união e espírito de entreajuda.

A resposta tinha de passar pela utilização das mesmas armas do adversário, a agressividade defensiva e não deixar jogar, em especial os lançamentos diretos para as costas das nossas defesas.

Depois, evitar perdas de bolas em zonas muito recuadas, situação resolvida com o jogo mais direto.

Tudo resumiu, deu uma primeira parte de muita luta a meio campo e sem grandes jogadas de perigo em ambas as balizas. Era eliminada a estratégia do adversário.

Na segunda parte deu-se mais relevância à tática. Sem nunca renegar a estratégia da primeira parte, tentou-se aproveitar algum desnorte criado no adversário e deu resultado.

 

A arbitragem foi novamente infeliz para o Benfica. Mas desta vez foi bem mais difícil ao árbitro manter um critério complacente com lances mais ríspidos. Conseguiu-o ao início, onde perdoou uma amarelo a Octávio, mas após a primeira advertência foi obrigado a apertar o critério disciplinar. Situação que até os jogadores perceberam, pois o jogo decorreu sem grandes casos de força excessiva.

 

Importante vitória, que espero ser um exemplo para o futuro. Nestes jogos de pouco servem as táticas, até porque não contemplam as arbitragens.

         

           

publicado por Tasqueiro às 22:59
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 28 de Setembro de 2018

Decepção total

 

O pior Benfica deste ano. Nem na pré-época eu vi tanto disparate. O campo estava pesado, o jogo começou atrasado uma hora, mas foram circunstâncias que prejudicaram as duas equipas. Até porque o estado do terreno não impediu o Chaves de jogar decentemente.

O Benfica nunca teve o controlo do jogo, apesar de ter iniciado a partida praticamente a ganhar, num lance de contra-ataque. Meio campo demasiado macio, pouca ou nenhuma pressão e quase sempre ineficaz. As perdas de bolas sucediam-se de forma chocante, com os jogadores do Benfica a perderem praticamente todos os duelos.

O jogo da champions não pode ser a causa de tanto desacerto e falta de empenho.   

Quando a exibição é fraca, o Benfica fica sempre à mercê da arbitragem. É tão notório e recorrente que já todos deviam estar vacinados para este problema.

Não percebo porque não foi feita a troca de posição entre Conti e Ruben Dias ao intervalo.

 

                       

publicado por Tasqueiro às 13:34
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 24 de Setembro de 2018

Caça às aves e disparates judiciais

 

Correu sem sobressaltos a 5ª jornada do campeonato. Uma 1ª parte agradável, com momentos de bom futebol e outros nem tanto. Uma 2ª parte a roçar o sofrível.  

Excelente desempenho de Felix, com mais um golo cheio de classe e sentido de oportunidade. Pena a lesão.

Grimaldo também saiu lesionado. Deveras preocupante, aproximam-se jogos de extrema importância (Champions e Porto), convinha que estivesse presente.

Estreia de Gabriel. Ainda agora começou, necessita da natural ambientação. É certo que não é um fora-de-série, mas pela luta que deu a sua aquisição, ainda mostrou pouco. A rever.

Péssima 2ª parte, muito mau mesmo. Erros incompreensíveis, valeu um grande Odysseas.

 

 

Considerações sobre a imputação do jogo à porta fechada exigido pelo Conselho de Disciplina na sequência do Estoril x Benfica.

- Trata-se de um conjunto de considerações genéricas e depois feitas acusações. Em vez de fundamentarem a acusação em factos, fazem-no baseado em juízos de valores.

- A acusação não refere em concreto quais as violações às normas que frisa. Avança com a designação das normas, mas não concretiza as quais são infringidas.

- A grande linha de argumentação da acusação é o Benfica não actuar sobre aquelas pessoas que prevaricarem no jogo, não expulsando ou castigando os sócios do clube. Curiosamente as Forças de Segurança Pública não identificaram qualquer individuo.

- Durante este jogo não se verificou qualquer anormalidade que colocasse em causa qualquer integridade física ou o recomeço do jogo. O jogo apenas atrasou pouco mais de 1 minuto devido aos festejos dos golos. Portanto o fundamente para a violação da norma não se verifica.

- Por último, diz a lei que a condenação tem de ter lugar na mesma época desportiva, ou seja 2017/18. Elementar.

Posto isto, digamos que não tem pernas para andar e que tudo isto não faz qualquer sentido. Como é que estes Senhores (do Conselho de Disciplina), supostamente Doutores especialistas em direito, concebem uma mixórdia destas?

Fanha Vieira acredita que tudo isto é deliberado e que há uma intencionalidade nesta acusação, que se sabe que é infundada. O que esta gente pretende é criar a ilusão de que o Benfica manda nisto tudo. O arquivamento vai permitir mais um logro, que a comunicação social tratará de amplificar.

 

À Consideração dos Benfiquistas.

 

P.S.: Créditos: As considerações são retiradas das declarações de Fanha Vieira (Advogado e especialista em direito desportivo) no programa "JOGO LIMPO" no dia 21/09/2018 na BTV.

 

               

publicado por Tasqueiro às 16:09
link do post | comentar | favorito

.Rodadas

contador free

.pesquisa

.Março 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Competência

. Decepção angustiante

. Oscilação

. A calmaria antes da tempe...

. Dez a zero

.links

.arquivos

.tags

. todas as tags

.mais sobre mim


. ver perfil

. 5 seguidores

blogs SAPO
RSS