Terça-feira, 6 de Novembro de 2018

Inépcia

 

Na minha juventude joguei futebol de onze. Foi a nível distrital e de inatel, mas a exigência estava lá, a pressão também, pelo menos a de não fazer má figura em frente a família, amigos, vizinhos ou até apenas conhecidos.

Lembro-me de fazer treinos onde apenas podíamos dar um a dois toques na bola, a finalidade consistia em treinar o corpo e a mente a pensar e executar rápido. Também me lembro muito bem de ouvir das boas, quando num exercício, que concluía num centro para a área, a bola não chegava em condições.

A ver o Benfica jogar, chego facilmente à conclusão de que estas práticas devem estar desactualizadas a este nível de exigência. Falo de um nível, tipo “10 anos à frente”.

Parece que no Moreirense a tradição se mantem.

Esteve tudo ao contrário, os azuis a jogar à Benfica e os vermelhos, um clube de escalão inferior, incapaz de ripostar.

Tudo torna-se ainda mais incompreensível quando é a segunda vez consecutiva, e antes já tinham ocorrido sinais inquietantes.

 

Mais uma vez as vozes no Benfica dividem-se. Nem tudo está mal, mas há definitivamente algo que está mal.

Afirma-se na BTV que aquele espaço é de democracia. Pois na minha opinião diria que é mais um espaço de consensos, o que é bastante invulgar para esta altura do campeonato. Num espaço de Benfiquistas é sempre difícil encontrar unanimidade, até mesmo em tempos de fartura.

 

JJ é dado como interesse do Benfica, com acordo verbal e tudo. Ainda não foi confirmado nem desmentido, e o Rui Vitória a arder. Ou isto é estratégia muito à frente (tipo 10 anos) ou inépcia total.

Aguarda-se uma posição, uma atitude ou acção. Qualquer coisa que accione uma consequência. Ou desmente-se os jornais, ou apresente-se uma alternativa, JJ é que não!!

 

              

publicado por Tasqueiro às 15:17
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 31 de Outubro de 2018

A entrevista

 

À partida não estava de acordo com esta entrevista que o Presidente do Benfica ia dar à TVI. Sou contra quaisquer actos que possam beneficiar entidades de comunicação social envolvidos na ofensiva ao Benfica.

Após a entrevista, a minha posição mudou substancialmente. Reconheço que, sendo um dos canais menos agressivos é também um veículo excelente para passar a mensagem, principalmente aos Benfiquistas. A BTV não chega a todos e, como se verifica, é lamentavelmente ocultada pelos generalistas, ao contrário do que fazem com os canais dos rivais, com especial incidência para o porto canal.

Havendo aqui e ali algum excesso na argumentação, Luís Filipe Vieira, no global, esteve a um nível aceitável e por isso acho que esta entrevista foi vantajosa.

Considero bastante oportunas as declarações relativamente a Simões, tendo sido bastante assertivo na argumentação e directo no recado que tinha de ser dado, esta novela acabou. Foi bastante convincente e determinado nos assuntos relacionados com os casos relacionados com a justiça, quem não deve não teme, ponto. Esclareceu os assuntos relacionados com os grupos organizados de adeptos, com as contas (ainda que de forma sucinta), o património (está totalmente pago) e a formação (que está para ficar). Deu uma ideia do que ainda está por fazer (e não é pouco).

Já não esteve tão bem na forma como esclareceu o telefonema com Boaventura, achei tudo muito confuso. Em outras ocasiões falou demais, tendo entrado em revelações que em nada beneficiam, nem a ele nem ao Benfica (apenas dá azo a mais especulação). Por exemplo, os assuntos relacionados com Rui Vitória numa conferência de imprensa, o relacionamento deste com Luisão, ou até chegar ao ponto de criar um ranking dos vencimentos de jogadores, assuntos que não deviam de merecer tanta atenção. Relativamente à “cartilha” esteve particularmente mal, revelou ignorância ou mentiu sem qualquer necessidade, até porque é um assunto público e já confessado por vários Benfiquistas. Tinha apenas de dizer que é um mecanismo já há muito utilizado pelos rivais e que o Benfica não quis ficar atrás.

Também não faltou aquele bocadinho de vaidade e arrogância, que sendo compreensível na exaltação na parte do trabalho realizado, acho excessivo no já abusivo “10 anos à frente”.

 

Tendo preenchido algumas lacunas na defesa do Benfica na praça pública, esta entrevista seria dispensável se o departamento de comunicação do Benfica fizesse o seu trabalho.

 

             

publicado por Tasqueiro às 15:52
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Terça-feira, 30 de Outubro de 2018

Altura de actuar com sapiência

 

Era uma oportunidade de liderar o campeonato, isolado à frente da concorrência. Um aditivo anímico após a derrota dramática em Amsterdam que iria serenar os ânimos, que se encontram exaltados, e dar uma força extra para os jogos importantes que se avizinham.

Aconteceu tudo ao contrário. Foi uma derrota humilhante que deixou os Benfiquistas à beira de um ataque de nervos, um treinador a ser contestado e o Presidente em dificuldades para o manter.

 

Os pessimistas querem a cabeça do treinador e os mais radicais sugerem eleições antecipadas. Os últimos acontecimentos aliados ao falhanço do penta e o pleno de derrotas na Champions fizeram transbordar o copo.

Os optimistas desvalorizam as duas derrotas consecutivas, sustentam-se nas boas exibições da equipa, nas muitas oportunidades falhadas e defendem Rui Vitória atribuindo-lhe o mérito de conseguir valorizar os jovens da formação.

 

A minha opinião não é tão radical como os pessimistas nem tão benevolente como os optimistas. Eu vejo jogadores perdidos em campo, com a obrigação de ganhar, sem saberem o que fazer e como lá chegar. Um treinador sem soluções e com muitas dificuldades em gerir o grupo de trabalho. Vão-lhe valendo os tiros certos na formação.

Vejo uma estrutura demasiado focada no negócio. Não consigo desassociar a má gestão do plantel com os negócios cozinhados nos gabinetes. 

 

O Benfica precisa de um treinador com peso na estrutura. Que não só perceba de futebol e que aposte na formação, mas que seja um Homem corajoso, um revolucionário que acabe com a ditadura financeira do Clube.

  

Aos Benfiquistas pede-se reflexão. As decisões precipitadas nunca deram bom resultado e este é um terreno fértil para oportunistas.

 

Para terminar, faz-me muita confusão este Benfica. As nomeações e respectivas performances da arbitragem têm sido uma incompetência. O VAR é um desastre. A Liga de Clubes idem. Os ataques da imprensa e dos aliados intensificam-se. O segredo de justiça parece um queijo suíço. O silêncio das entidades competentes é preocupante, mas a inércia do Benfica é medonha.

 

Acorda Benfica.

 

  

publicado por Tasqueiro às 15:03
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 24 de Outubro de 2018

Resta lutar pelo Liga Europa

 

Em primeiro lugar quero destacar que se tratou de um grande jogo de futebol (muito à conta da dinamica do Ajax) e merecia um resultado com mais golos. O Ajax apresentou um futebol próximo do clássico futebol total, à imagem da geração de Johan Cruijff, faltando apenas a genialidade do melhor jogador holandês de todos os tempos. A manter-se esta performance, estou convicto de que esta equipa pode muito bem passar em primeiro lugar no grupo.

Relativamente ao Benfica, não entusiasma. Os problemas persistem, tanto na defesa como no ataque.

A primeira fase de construção não existe, é demasiado lenta e quando pressionada passa por grandes dificuldades. A bola, através de atrasos consecutivos, acaba sempre no guarda-redes, que já pressionado, tem de a despachar com pontapé para a frente sem grande precisão.

No ataque temos um Seferovic esforçado que até é competente nas recessões às bolas bombeadas e quando bem acompanhado consegue-lhes dar seguimento, no entanto, se falta o apoio não consegue reter a bola, muito menos desenvolver qualquer jogada individualmente. Possui um remate fácil, é útil em jogadas de contra-ataque, mas o problema reside na falta de talento.

Não concordei com a vinda de Rui Vitória para o Benfica, não lhe reconheço capacidades para treinar este Glorioso Clube. Admito que pontualmente tem estado à altura do desafio, em particular no lançamento dos Jovens da Formação, mas é pouco. Ontem o jogo precisava de músculo e intensidade, pois em vez de Alfa (que foi o herói de Atenas) meteu o Gabriel. Fico na dúvida se Cervi entrou para refrescar o ataque ou se foi para perder tempo. Este Benfica não consegue ter a bola, e sem bola tudo se torna mais difícil, a não ser que se pretenda adoptar o modelo de contra-ataque. Espera-se muito mais de um treinador do Benfica, quando tem à sua disposição tanta qualidade. O Ajax que sirva de exemplo.

Ficou um penalti claro por marcar a favor do Benfica. Até aí temos tido pouca sorte.

 

                 

publicado por Tasqueiro às 14:05
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 23 de Outubro de 2018

Taça, “faits divers" e coisas importantes

 

No jogo com o Sertanense para a Taça de Portugal, o Benfica fez a sua obrigação … ganhar.

Não foi uma grande exibição mas o Benfica fez o suficiente para merecer o resultado, nesse aspecto nada a apontar. Um 11 atípico, sem automatismos, do qual não se podia exigir muito, e que foi melhorando com o desenrolar do jogo.

O que importa assinalar é a soma dos Jogadores Formados no Clube que participaram neste jogo: Ruben Dias, Alfa Semedo, Yuri, Gedson, Felix e Jota. O futuro é já ali ao virar da esquina, haja vontade de todas as partes, em especial a da Direcção.

De realçar a exibição de Alfa a central, não foi um teste especialmente complicado, no entanto deu sinais de que podem contar com ele para qualquer eventualidade. Rafa foi oportuno e eficaz, é a regularidade que falta e que todos os Benfiquistas desejam. Gedson fez mais uma excelente exibição, grande golo. Zivkovic merece mais oportunidades, faz da simplicidade a genialidade (faz-me lembrar Aimar, com as devidas diferenças).

 

O Sport Lisboa e Benfica é um Clube centenário. Da sua Gloriosa história fazem parte diversas e abundantes personagens, umas mais significativas que outras, todas elas meritórias mas nenhuma está acima do Benfica.

Simões é e será sempre uma figura relevante na história do Benfica, foi Campeão Europeu e fez parte de uma das mais memoráveis gerações deste Glorioso Clube. Mas por mais importante que seja ou tenha sido a personagem, o Sport Lisboa e Benfica é um todo e nunca uma só parte “E pluribus unumDe muitos, um”.

A forma como tratou Calado (em declarações à CMTV) é simplesmente inacreditável. Como disse Simões, vezes sem conta, não se trata de opinião mas sim de dizer a verdade e essa é indesmentível através dos factos que Ricardo Palacin nos apresentou. O Senhor afinal falou para a BTV.

Estou muito desiludido com Simões, pessoa a quem tinha em grande consideração. Acusou Calado de ser mentiroso e um moço de recados, afinal o mentiroso foi ele.

É preciso ter a noção que o Simões sem o Benfica provavelmente não teria o estatuto que teve (e ainda tem), o Benfica sem Simões iria ser sempre Grande. O Benfica já era Campeão Europeu sem Simões.

 

Hoje pede-se máxima concentração. Muita raça, querer e ambição. Carrega Benfica.

 

                  

publicado por Tasqueiro às 09:26
link do post | comentar | favorito
Domingo, 14 de Outubro de 2018

Estratégia

 

Nos últimos dois jogos fui bastante crítico com a equipa, com principal relevo para Rui Vitoria. Desta vez dou os parabéns a todos.

Contra este adversário em particular de pouco vale a tácita. Eles apresentam-se sempre em modo agressivo, baseado nos duelos físicos e lutas psicológicas. Aproveitando as constantes performances infelizes da arbitragem para com o Benfica, a estratégia faz todo o sentido e tem dado bons resultados.

Pois desta vez, Rui Vitória abordou o jogo de forma estratégica. Não descurou a tática mas remeteu a mesma para segundo plano. Havia primeiro que criar grande união e espírito de entreajuda.

A resposta tinha de passar pela utilização das mesmas armas do adversário, a agressividade defensiva e não deixar jogar, em especial os lançamentos diretos para as costas das nossas defesas.

Depois, evitar perdas de bolas em zonas muito recuadas, situação resolvida com o jogo mais direto.

Tudo resumiu, deu uma primeira parte de muita luta a meio campo e sem grandes jogadas de perigo em ambas as balizas. Era eliminada a estratégia do adversário.

Na segunda parte deu-se mais relevância à tática. Sem nunca renegar a estratégia da primeira parte, tentou-se aproveitar algum desnorte criado no adversário e deu resultado.

 

A arbitragem foi novamente infeliz para o Benfica. Mas desta vez foi bem mais difícil ao árbitro manter um critério complacente com lances mais ríspidos. Conseguiu-o ao início, onde perdoou uma amarelo a Octávio, mas após a primeira advertência foi obrigado a apertar o critério disciplinar. Situação que até os jogadores perceberam, pois o jogo decorreu sem grandes casos de força excessiva.

 

Importante vitória, que espero ser um exemplo para o futuro. Nestes jogos de pouco servem as táticas, até porque não contemplam as arbitragens.

         

           

publicado por Tasqueiro às 22:59
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 3 de Outubro de 2018

Apesar da vitória, a exibição foi mais uma enorme decepção.

 

A exibição do Benfica na Grécia esteve ao nível de um jogo de solteiros casados. Valeu um enorme Odysseas e a frágil qualidade do adversário.

Ninguém parece saber muito bem o que fazer em campo. A estratégia tem sido a de recuar e trocar a bola com o guarda-redes, até este sem qualquer outra alternativa chutar a bola lá para a frente.

Rui Vitoria aparenta não conseguir indicar o caminho. O que ainda o prende ao Benfica é o acerto que tem conseguido com a aposta na formação, porque a qualidade de jogo tem vindo a cair consideravelmente.

Mau pressentimento para Domingo, o que já vem sendo um hábito, infelizmente.

 

                

publicado por Tasqueiro às 09:19
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sexta-feira, 28 de Setembro de 2018

Decepção total

 

O pior Benfica deste ano. Nem na pré-época eu vi tanto disparate. O campo estava pesado, o jogo começou atrasado uma hora, mas foram circunstâncias que prejudicaram as duas equipas. Até porque o estado do terreno não impediu o Chaves de jogar decentemente.

O Benfica nunca teve o controlo do jogo, apesar de ter iniciado a partida praticamente a ganhar, num lance de contra-ataque. Meio campo demasiado macio, pouca ou nenhuma pressão e quase sempre ineficaz. As perdas de bolas sucediam-se de forma chocante, com os jogadores do Benfica a perderem praticamente todos os duelos.

O jogo da champions não pode ser a causa de tanto desacerto e falta de empenho.   

Quando a exibição é fraca, o Benfica fica sempre à mercê da arbitragem. É tão notório e recorrente que já todos deviam estar vacinados para este problema.

Não percebo porque não foi feita a troca de posição entre Conti e Ruben Dias ao intervalo.

 

                       

publicado por Tasqueiro às 13:34
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 27 de Setembro de 2018

Caso Mails – é disto que estamos a falar

 

No caso dos E-Mails, muito se falou e escreveu na comunicação social deste país. Seja por ignorância ou má-fé, analisaram-se e debateram-se matérias truncadas que acabaram por mancharam o nome do Sport Lisboa e Benfica por esse mundo fora.

O Benfica fez queixa à ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social) contra os responsáveis (Avenida dos Aliados - Sociedade de Comunicação, S.A., Júlio Magalhães e Tiago Girão) pela difamação e divulgação de correspondência privada.

A ERC já deliberou sobre o assunto. Deixo aqui uma das suas muitas considerações:

“… É de igual modo patente a busca de sensacionalismo concretizada – num programa de cariz informativo – por via de uma prática folhetinesca assente na divulgação reiterada, parcial e seriada de documentação privada, acompanhada da promessa de “novas revelações”61, e que, através de interpretação não neutra, introduz uma sua leitura interpretativa, junto dos telespectadores, susceptível de insinuação criminal62.”

 

É bastante claro que, nestas linhas, para além do crime de divulgação de correspondência privada está apontado, pelo menos mais um, o de difamação.

Como exemplo prático daquilo que estamos a falar, e com a ajuda desta investigação da ERC, deixo um exemplo da técnica utilizada por esta gente, na divulgação dos supostos emails de forma a ludibriar o povo.

Segue em baixo os textos divulgados pelo Porto Canal, a azul, e em seguida os supostos textos completos, a vermelho (trechos ocultados a sublinhado).

 

Divulgados pelo Porto Canal:

Mensagem que Adão Mendes, ex-árbitro de futebol, teria remetido em 29 de Janeiro de 2014 a Pedro Guerra:

O Primeiro-Ministro é de facto um grande homem e um grande líder. Sei o que digo, porque sei das suas capacidades em ouvir, pensar, astúcia nas decisões e amor ao Glorioso. Não há outro como ele. Hoje o SLB manda mesmo e os outros já não mexem em nada, e o resto virá por acréscimo. Dizem os grandes sábios dos painéis que algo está a mudar, o Porto já não manda, mas ainda não compreendem onde está o poder. Hoje quem nos prejudicar sabe que é punido e este espaço foi conquistado com muito trabalho do Primeiro-Ministro.

 

Mensagem essa a que Pedro Guerra terá respondido nos seguintes termos:

Sei que o nosso Primeiro-Ministro quer que seja essa a postura, e, se ele traçou essa estratégia, creio que só temos que segui-la. Ele lá sabe o que anda a fazer. E, na verdade, não temos tido muita razão de queixa.

 

Supostamente completos:

Mensagem que Adão Mendes, ex-árbitro de futebol, teria remetido em 29 de Janeiro de 2014 a Pedro Guerra:

O Primeiro-Ministro é de facto um grande Homem e um GRANDE LÍDER, sei o que digo porque sei das suas capacidades em ouvir, pensar, astúcia nas decisões e amor ao Glorioso. Não há outro como ele. Hoje o SLB manda mesmo e os outros já não mexem nada, já não fazem pouco de nós, e o resto virá por acréscimo. Dizem os grandes sábios dos painéis que algo está a mudar, o Porto já não manda, mas ainda não compreendem onde está o poder. O poder está no trabalho dia a dia, na busca da verdade e da seriedade e isso faz a diferença. Hoje quem nos prejudicar sabe que é punido e este espaço foi conquistado com muito trabalho do Primeiro-Ministro.

  

Mensagem essa a que Pedro Guerra terá respondido nos seguintes termos:

Meu Caro Amigo,

Com as suas lições tudo se torna mais fácil. Estou a levar com críticas e azias de muitos benfiquistas, que me acusam de defender em demasia os árbitros. Mas eu quero lá saber! Para mim, o mais importante é o Sport Lisboa e Benfica. E se a minha postura e opiniões puderem contribuir, nem que seja de forma pífia, para um clima de paz e harmonia, acho que é este o caminho a seguir. Sei que “nosso” Primeiro-Ministro quer que seja esta a postura e se ele traçou essa estratégia, creio que só temos que segui-la. Ele lá sabe o que anda a fazer. E, na verdade, não temos tido muita razão de queixa.

 

 Sobre esta matéria diz a ERC que:

 

“… Para além disso, contudo, e independentemente das dúvidas associadas à existência e veracidade de toda ou parte da documentação divulgada por Francisco José Marques, certo é que da mesma foi feita, por via da sua interpretação e comunicação pública, uma utilização não raro selectiva e descontextualizada, e, portanto, desprovida de objectividade, e eivada, inclusive, e por outro lado, de propósitos sensacionalistas.”

 

 À Consideração dos Benfiquistas:

 

               

publicado por Tasqueiro às 15:10
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 26 de Setembro de 2018

Obrigado Capitão ...

 

pela dedicação,

pelo profissionalismo,

pelos Titulos.

 

Carrega Benfica.

           

publicado por Tasqueiro às 15:33
link do post | comentar | favorito

.Rodadas

contador free

.pesquisa

.Novembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Inépcia

. A entrevista

. Altura de actuar com sapi...

. Resta lutar pelo Liga Eur...

. Taça, “faits divers" e co...

.links

.arquivos

.tags

. todas as tags

.mais sobre mim


. ver perfil

. 5 seguidores

blogs SAPO
RSS